sexta-feira, 9 de junho de 2017

Você não é trouxa

                                                                   

                                                    Você não é trouxa






  Tem uma coisa que eu preciso te contar. Você​ tem sido enganado há anos, e, agora que eu sei, não posso mais guardar esse segredo pra mim. Na verdade, assim que eu descobri, tenho pensado em qual seria o melhor jeito de te dizer isso. Espero que você esteja preparado pra isso, não é algo muito fácil de se ouvir. Chega de enrolar, vou falar de uma vez... Preparado? Lá vai: Você não é trouxa! Eu sei, parece ser um pouco difícil de acreditar, mas é a verdade. E tem uma lógica por trás dessa verdade que​ talvez faça você concordar comigo.
  Por muito tempo a gente ouviu de todo mundo que quem faz algo legal, ou ajuda, ou é simpático, ou dá uma segunda chance pra alguém que não dá valor, que ignora, que engana ou trai, é trouxa. Eu já ouvi isso centenas de vezes, e já falei isso outras milhares. Mas, pensa bem. Porque fazer algo bom pra alguém, muitas vezes pra alguém que é importante pra você, faz de você uma pessoa trouxa? Porque você é que tem que se sentir mal por ter feito alguma coisa legal, se foi a outra pessoa que não deu valor ou rejeitou?
  A gente aprende por aí que esperto é quem faz as coisas para a própria vantagem, quem pensa primeiro em si mesmo pra depois pensar nos outros. Mas será que é assim mesmo que a gente tem que pensar? É claro que quando fazemos o bem pra alguém que não dá valor, sentimos uma revolta dentro de nós, como se o bem que fazemos nunca fosse reconhecido. Eu já senti essa revolta muitas e muitas vezes. É normal se sentir triste com isso. Eu diria até que é quase impossível não se sentir mal por sermos enganados ou ignorados, e seria demais pedir pra você não se chatear com situações assim. Mas o que você tem que entender é o seguinte: você não precisa se sentir mal por ter feito o bem. Você não é trouxa.
  Quem precisa se sentir mal com os seus atos é quem ignora um gesto legal de alguém, quem não responde um sorriso com outro sorriso de volta (de propósito), quem volta a tratar mal quem lhe deu uma segunda chance, quem engana ou trai quem só quer seu bem.
  Lembre-se que uma das coisas mais importantes que a gente precisa fazer é amar ao próximo. E não é só o próximo que devolve a sua gentileza, viu?! Você não deve se sentir mal por ter feito algo bom pra quem quer que seja, mas deve se sentir feliz por estar fazendo o certo.
  Não estou dizendo que você é obrigado a continuar agradando quem te rejeita. Talvez persistir nisso adoeça seu coração, e faça com que você acabe adquirindo uma percepção errada do que é o amor e a amizade. Amizade e amor, quando não correspondidos, deixam de ser relacionamentos saudáveis, para ambos os lados. Mas não deixe que esse tipo de coisa faça você se arrepender por ter feito algo de bom, ou ter sido simpático ou prestativo. Lembre-se que o máximo que você pode fazer é a sua própria parte. Sinta-se alegre por fazer o seu melhor. Criar inimizades por aí simplesmente por não ter seu gesto reconhecido ou valorizado, pode tirar todo o brilho da sua boa intenção. Faça o bem sem olhar a quem, já dizia o ditado. Pague sempre com o bem. Se a pessoa não aceitar, então a recompensa será toda sua.


*MaRi Rezk*


2 comentários: